A LUTA CONTINUA!


"HÁ VITÓRIAS QUE EXALTAM, OUTRAS QUE CORROMPEM; DERROTAS QUE MATAM, OUTRAS QUE DESPERTAM."
Antoine de Saint-Exupéry

terça-feira, 21 de outubro de 2014

RN - ELEIÇÕES 2014: AGENDA DOS CANDIDATOS AO GOVERNO DO ESTADO PARA ESTA TERÇA-FEIRA (21)

 HENRIQUE ALVES (PMDB )
8h: Caminhada no Conjunto Guarapes, em Natal.
9h: Caminhada nos bairros: Panorama, Alto da Torre, Conjunto dos Garis e Jardim das Flores, em Natal.
9h30: Caminhada em Macaíba.
14h: Caminhada nos bairros: Neópolis, Jiqui, Pirangi e Nova Parnamirim.
19h: Encontro com lideranças jovens evangélicas em Parnamirim.
20h30: Comício em Goianinha.
21h30: Comício em Canguaretama.
 
 ROBINSON FARIA (PSD)
10h: Caravana na Zona Norte de Natal.
12h: Reunião com Professores Universitários.
14h: Caravana em São Gonçalo do Amarante.
18h: Caravana em Extremoz.
20h: Caravana em Ceará-Mirim.

POESIA POPULAR NORDESTINA


RECEITA PRA MUIÉ FRIA
 Bob Motta

Um sujeito estava triste
e seu cumpade notô.
Dele se cumpadicendo,

p'ro sujeito assim falô:
Meu cumpade me arresponda,
cum sinceridade a mim.
Pelo qui eu lhe cunheço,
você num tá bem, tá rim.
Intão-se, meu veio amigo,
pode se abri cumigo,
pruquê tá tão triste assim?
- - - - -
Cumpade; e dá pra notá?
O causo é minha muié.
Num mexe, num vira os zóio,
acredite se quizé.
Quando vai fazê amô,
     parece inté um robô,
fria qui nem picolé.
- - - - -
Oxente, isso é bronca besta;
vô lhe insiná um remédio,
mode ela fica no grau
e percurá seu assédio.
A receita é de premêra,
Juro, num é brincadêra,
você vai saí do tédio.
- - - - -
Mande ela tumá um banho,
Butá pó, se prefumá,
butá música no quarto,
cum pouca rôpa deitá.
Iscuricê o ambiente,
qui você veja somente,
sua sombra a lhe chamá.
- - - - -
Você também tome o seu,
caprichado pur intêro.
Passe bucha, faça a baiba,
saia nôvim do banhêro.
Chegue pra ela chaimôso,
bonito, limpo e cherôso,
qui nem fio de barbêro.
- - - - -
Quando você se achegá,
cum carinho acenda o facho.
Beje ela no pescôço.
acoche ela num abraço,
adispôi vá murdiscando,
tirando a rôpa e bejando,
da cabeça inté in baxo.
- - - - -
Qui é isso, meu cumpade?
Seio qui tenho qui í à luta;
mais resguardando os limite,
zelando pela cunduta.
Se assim tu tá me ensinando,
meu cumpade tá pensando,
qui minha muié é puta?
- - - - -
Não, cumpade; só amostrei,
o qui a solução indica.
Mode ela ficá no ponto,
seu cumpade deu a dica.
Se assim você procedê,
puta ela pode nem sê,
mais garanto qui ela fica..
 
<<<<<>>>>>
.

DE: PERDAS

                              
21 de outubro de 2014
                      
Consulta aos Acordos Coletivos de Trabalho revela que os salários dos empregados da Petrobras perderam 35% do poder de compra desde que o PT chegou ao poder. Remuneração do “nível 201” da estatal era R$ 341,49 em 2002 e equivalia a 1,4 salário mínimo da época (R$ 240), mas o acordo que vigorou até 31 de agosto de 2014 garantia só R$ 669,21 aos empregados, bem menos que o atual mínimo de R$ 724.
Compartilhar                                                     
  • Empregados do “nível 774” recebiam R$ 4.603,52 ou 19,1 mínimos em 2002. Hoje, recebem R$ 9.021,50, equivalente a 12,4 salários mínimos.
    Compartilhar
  • Durante os 12 anos de PT, a Petrobras não conseguiu repor sequer as perdas com inflação. O salário subiu 96%, com inflação de 108,8%.
    Compartilhar
  • O único item com ganho real foi alimentação. Em 2002, auxílio-almoço na Petrobras era de 99% do mínimo. Hoje equivale a 106%.
    Compartilhar
  • Como a maioria dos benefícios e vantagens concedidos pela Petrobras a empregados equivalem a percentual do salário, tudo é comprometido.
    Compartilhar
  •  

    segunda-feira, 20 de outubro de 2014

    BRASIL: BALANÇA COMERCIAL TEM DÉFICIT DE US$ 724 MILHÕES DE OUTUBRO

    Wellton Máximo – Repórter da Agência Brasil Edição: José Romildo
     
    O Brasil importou US$ 724 milhões a mais do que exportou na terceira semana de outubro. O valor foi divulgado hoje (20) pelo Ministério do Desenvolvimento, indústria e Comércio Exterior (MDIC). Na semana passada, o país exportou US$ 3,913 bilhões e importou US$ 4,637 bilhões.
    O resultado da semana passada reverteu o desempenho da balança comercial – diferença entre exportações e importações – em outubro. No mês, o indicador acumula saldo negativo de US$ 584 milhões. Nas duas primeiras semanas de outubro, a balança tinha registrado superávit de US$ 140 milhões.
    Com o resultado negativo em outubro, o déficit da balança comercial subiu para US$ 1,278 bilhão em 2014, contra déficit de US$ 757 milhões registrado no mesmo período de 2013. No ano, as importações totalizam US$ 185,578 bilhões, queda de 3% pela média diária, na comparação com 2013. As exportações, no entanto, caíram mais e somam US$ 184,3 bilhões, recuo de 3,3%, também pela média diária.
    Conforme o MDIC, a crise cambial na Argentina – principal compradora de veículos brasileiros –, a queda do preço das commodities (bens agrícolas e minerais com cotação internacional) e as importações de petróleo e derivados explicam o resultado negativo da balança comercial em 2014.
     

    RN - ELEIÇÕES 2014: AGENDA DOS CANDIDATOS AO GOVERNO DO ESTADO PARA ESTA SEGUNDA-FEIRA (20)

     HENRIQUE ALVES (PMDB) 
    11h: Visita à Procuradoria da República do RN, em Natal.
    12h: Gravação do Programa Eleitoral.
    14h30: Caminhada na Vila de Ponta Negra, em Natal, com concentração em frente à igreja Matriz.
    17h: Caminhada em Parnamirim, com concentração na Rua Joel Imperador  (Em frente ao LS Supermercado – Rosa dos Ventos).
    21h: Passeata e comício em Nova Cruz.


     ROBINSON FARIA (PSD) 
    10h: Encontro com procuradores federais em Natal.
    11h: Reuniões políticas.
    14h: Caravana na Zona Sul de Natal com saída da praça dos Taxis de Neópolis.
    17h: Caravana em Serra Caiada.
    19h: Caravana em Canguaretama.
    21h: Caravana em Goianinha.

    POESIA POPULAR NORDESTINA

    ZÉ LIMEIRA (*)
     
     
    O Marechal Floriano
    Antes de entrar pra Marinha
    Perdeu tudo quanto tinha
    Numa aposta com um cigano
    Foi vaqueiro vinte ano
    Fora os dez que foi sargento
    Nunca saiu do convento
    Nem pra lavar a corveta
    Pimenta só malagueta
    Diz o Novo Testamento!
     
    Pedro Álvares Cabral
    Inventor do telefone
    Começou tocar trombone
    Na volta de Zé Leal
    Mas como tocava mal
    Arranjou dois instrumento
    Daí chegou um sargento
    Querendo enrabar os três
    Quem tem razão é o freguês
    Diz o Novo Testamento!
     
    Quando Dom Pedro Segundo
    Governava a Palestina
    E Dona Leopoldina
    Devia a Deus e o mundo
    O poeta Zé Raimundo
    Começou castrar jumento
    Teve um dia um pensamento:
    “Tudo aquilo era boato”
    Oito noves fora quatro
    Diz o Novo Testamento!
     
    (*) O POETA DO ABSURDO

    domingo, 19 de outubro de 2014

    QUEM SERÁ, QUEM SERÁ?

     
    19 de outubro de 2014

    Lava Jato: governadores podem não tomar posse
    Fontes ligadas às investigações da Operação Lava Jato afirmaram, sem citar nomes, que “alguns governadores” eleitos no último dia 5, em primeiro turno, podem não tomar posse em 1º de janeiro, em razão da gravidade do envolvimento deles no esquema de corrupção e lavagem de dinheiro chefiado pelo megadoleiro Alberto Youssef e o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, presos há sete meses.
    Compartilhar
  • Há políticos disputando o 2º turno, segundo fontes da investigação, que também podem ser alçadas pela Justiça, no escândalo da Lava Jato.
    Compartilhar
  • Tira o sono de muita gente a suspeita de que o ministro Teori Zavascki vai liberar, antes do 2º turno, a lista dos políticos enrolados na delação.
    Compartilhar

  • CAUSO

    O COPO DE CRISTAL

    Durante algum tempo, em sua residência, o Dr. Vécio Barreto de Paiva assustava-se, arrepiava-se até, sentindo a presença do Dr. Eutiquiano Garcia Reis, como se o colega já falecido lhe desejasse falar, confidenciar alguma coisa que em vida não pudera fazer.
    Conhecidos desde os bancos escolares, companheiros de juventude e contemporâneos da Faculdade de Direito do Recife, o longo convívio os uniu numa amizade que parecia inabalável, não obstante de temperamentos completamente opostos. O Dr. Véscio, extrovertido, aberto, sempre estava disponível para uma conversa. O Dr. Eutiquiano era introvertido, fechado, distante. Embora frequentasse o Natal Clube, onde encontrava-se com os amigos, Eutiquiano preferia a tranquilidade de sua vida de solterio, de sua casa na avenida Floriano Peixoto, solitário, jogando paciência ou ouvindo música clássica, acompanhado do seu copo de whisky, que sorvia pausadamente. Íntegro, as suas sentenças de juiz eram conhecidas pela rigorosa imparcialidade. Mas uma pequena desatenção de Eutaquiano, produto mais de sua introversão, da sua maneira às vezes brusca de agir do que desejo voluntário de ferir, esfriou uma amizade que parecia permanente. E o Dr. Véscio limitou o seu relacionamento a um cumprimento formal, quando, eventualmente, se encontravam.
    Esse seu modo, às vezes ríspido, é confirmado por um episódio ocorrido no Natal Clube: sentado à uma mesa, Eutiquiano chama o garçom e lhe entrega um copo de cristal, acompanhado de um pedido, que era mais uma ordem:
    - Quando eu vou lhe pedir água, não traga nesses copos pesados, grosseiros, que servem a todo mundo. Traga-a neste, que vai ficar aqui, só para mim.
    Passados alguns dias, faz sinal ao mesmo garçom, pedindo água. Distraído, recebe o copo. Quando percebe que não era o seu copo de cristal, que mandara reservar, irrita-se e joga-o no chão, com violência.
    No entanto, o Dr. Eutiquiano lamentava a amizade interrompida entre si e Véscio, julgando-se culpado e ansioso por reatá-la. Mas, algum tempo depois do incidente que os afastou, adoeceu gravemente, falecendo na Casa de Saúde São Lucas, sem haver tido a oportunidade de se desculpar, de reatar os velhos laços rompidos, levando para o outro lado da vida o sentimento de haver magoado o amigo a quem tanto prezava. O Dr. Véscio ainda pensou em lhe fazer uma visita, porém desistiu, temendo que a sua presença pudesse emocioná-lo, agravando o seu estado de saúde.
    A sensação da presença do amigo recentemente falecido lhe trouxe à lembrança o incidente que os separou. Com certeza, desejava desculpar-se, como falara a alguns amigos. Numa noite, ainda cedo, despreocupado, tomando a sua habitual cerveja bem gelada, o Dr. Véscio sente, inesperadamente, a repetição do estranho fenômeno. Falando alto, seguindo orientação de pessoa da família, dirige-se ao colega como se o estivesse vendo:
    - EutIquiano, lembre-se que você não é  mais deste mundo. Aquilo que se passou entre nós e o deixou preocupado não tem a menor importância. Não o visitei quando você estava doente, porque você poderia ter se emocionado. Está tudo bem. Vou rezar para você
    No final, mantendo os nervos sob controle, Véscio faz um pedido:

    sábado, 18 de outubro de 2014

    ESTÁ PRECISANDO APRENDER

    Olha a mer... que o incompetente fez nesta montagem, e que está circulando pela internet.
    Recortou a cara do  Lula e colou a foto do FHC no lugar.
    Eu não sabia que no Fernando Henrique também faltava um dedo na mão esquerda.
     
    É MUITA INCOMPETÊNCIA!

    É HISTÓRIA

    MARIA DE OLIVEIRA BARROS (Maria Boa)
    Sandro Fortunato (*)

    Cabe uma explicação aos mais jovens, aos castos e aos pudicos. Cabaré, boate, casa de massagens, puteiro, casa de strip, relax for men e outros templos do prazer carnal não são tudo a mesma coisa.
    Cabaré é algo que quase não existe mais. Era o local de trabalho das damas, das mulheres da noite. Nele havia uma dona, geralmente uma senhora respeitável, douta na arte de fazer um homem gemer sem sentir dor, conhecedora de mistérios somente revelados à meia luz, entre gemidos e sussurros. Essa senhora recebia em sua casa várias meninas que, repetindo sua própria história, um dia haviam fugido de casa ou sido colocadas para fora pelo pai envergonhado da filha ingrata que desgraçara o lar fazendo safadeza antes do tempo e sem ser casada. Essas meninas tinham cada uma, seu quarto, suas coisinhas, seu mundo. Tinham hora para trabalhar. Tinham clientes preferidos. Também tinham amigos. Tinham uma vida. E, essa não era nada fácil.
    Ir a um cabaré nem sempre significava buscar sexo pago. Frequentava-se cabaré para beber, conversar com os amigos, com as meninas da casa, ver um show, enfim, para se divertir e relaxar. Ao final, você poderia voltar para casa de espírito mais tranquilo e sem necessariamente ter chegado às vias de fato.
    Na provinciana Natal desde os anos 40 a meados da década de 80, existiu o Cabaré de Maria Boa, talvez o último desses locais que merecesse ser chamado assim. Era de propriedade de uma verdadeira dama, respeitável cortesã.
    Luz vermelha, quartos minúsculos com acústica privilegiada aos que passavam no corredor, toalhinha e bacia com água para lavar as partes, cerveja gelada, meninas que conversavam, mulheres mais experientes com suas “frases de sedução”: E aí, bonitão, vamos brincar um pouquinho hoje? ou Vem cá, simpático. A radiola de ficha a tocar e as meninas sonhando com alguém que as tirasse daquele lugar.
    Maria Boa era natural de Campina Grande. Como teria vindo para Natal? Será que a menina, então com pouco mais de vinte anos, que deixava Campina, poderia imaginar que a Casa de Maria Boa faria fama no Brasil e no mundo e, mais que simples cabaré, viraria referência turística da capital potiguar?
    Maria Boa chegou a Natal junto com os americanos e a Segunda Guerra. Sua casa levou se tornou um referencial. Era frequentada por políticos e empresários. Funcionou por aproximadamente meio século. Já era quase uma septuagenária quando caminhava diariamente ao amanhecer pela Praia do Meio, onde morava, com uma antiga amiga. Não se sabe se nessa época ainda aparecia para gerir os negócios. Poucos tiveram a oportunidade de pousar olhos embriagados sobre sua lendária figura.
    Uma história foi contada na edição do Diário de Natal, que trazia a notícia da morte de Maria. O fato ocorreu em um churrasco em família, num ambiente bem tranquilo: “Numa cadeira ao lado, sentou uma senhora usando vestido azul e sandálias pretas. (…) Seus traços físicos ainda guardavam sinais de uma mulher que já fora muito bonita, de belo corpo. Conversei uma hora com a mulher ao lado. Ao final do papo, ela perguntou meu nome. Respondi a senhora e, por educação, fiz a mesma pergunta. Com um sorriso, ela me respondeu: “Me chamo Maria de Oliveira”. (…) Alguns minutos após, minha avó se aproximou, comentei com ela: “Que mulher distinta e educada, ela parece uma lady do tipo inglesa”. Minha avó disse: “Você estava conversando com Maria Boa”.
    Outra história, na cobertura do enterro, foi registrada:
    Morreu ontem, por volta de 1 hora da manhã, vítima de acidente vascular cerebral - AVC (trombose), na Casa de Saúde São Lucas, Maria Oliveira Barros, mais conhecida como Maria Boa, 77 anos. Ela fez história no Rio Grande do Norte com seu bordel. Com o sepultamento de Maria Boa, desaparece também uma figura lendária da história da cidade, que da badalação da noite envolveu-se num véu de recato e discrição, usufruindo o que amealhou com décadas de trabalho em extremo convívio familiar.
    Quem não viveu a Natal dos anos sessenta, quando o sexo era reprimido “entre as moças de família”, não pode avaliar o que foi essa “instituição” para jovens iniciantes, ou para o relax de vetustas figuras do Judiciário, Legislativo e Executivo, empresários, enfim cidadãos de todos os tipos, de uma cidade com menos de 200 mil habitantes .

    DE: FRASE

    Do: DIÁRIO DO PODER

    A pesquisa IstoÉ/Sensus foi a única que previu
    Aécio Neves no 2º turno.

    sexta-feira, 17 de outubro de 2014

    BRASIL - ELEIÇÕES 2014: PESQUISA ISTOÉ/SENSUS DIVULGADA NESTA SEXTA-FEIRA (17) MOSTRA AÉCIO COM 56,4% E DILMA COM 43,6

    Jornal do Brasil
    Hoje às 17h28

    Pesquisa ISTOÉ/SENSUS sobre a corrida presidencial divulgada nesta sexta-feira (17) mostra o candidato do PSDB, Aécio Neves, com 56,4% dos votos válidos, contra 43,6% de Dilma Rousseff (PT). 

     
    Se fossem considerados os votos totais, Aécio teria 49,7% e Dilma, 38,4%; 12% dos eleitores ainda se manifestam indecisos ou dispostos a votar em branco.
    A pesquisa indica ainda que na reta final da disputa os dois candidatos já são bastante conhecidos pelos eleitores. O índice de conhecimento de Dilma é de 94,4% e de Aécio, de 93,3%.
     
     Rejeição 
     
    O índice de rejeição à candidata Dilma Rousseff, segundo o levantamento, é de 45,4%. Com relação ao tucano, a rejeição é de 29,9%.
    O Sensus ouviu 2.000 eleitores de 136 municípios em 24 estados, entre terça-feira (14) e esta sexta (17). A pesquisa tem margem de erro de dois pontos percentuais, para mais ou para menos